Você não precisa ser rico para viajar!

Olá viajantes!

A palavra “viajar” frequentemente está na “lista negra” do imaginário popular.

Porém, com a crescente evolução da nossa economia e amadurecimento da forma como gastamos nosso dinheiro, percebemos que  é possível, sim, viajar. E que isso não é um privilégio exclusivo para pessoas com renda alta.

A partir de agora, vamos relacionar os 6 pontos que mexem literalmente com o seu bolso e mostrar que viajar de forma confortável e econômica é completamente possível.

Passagem

Quanto menor a distância, mais barato é o trecho. Isso é um fato. A dica é se programar, pois boas promoções aparecem a todo momento.

Geralmente, essas promoções aparecem em datas menos concorridas ou fora da alta temporada (longe das férias de fim de ano, por exemplo).

Dê preferência para viajar entre março e junho ou entre agosto e novembro. Finais de semana (Sex/Dom) quase sempre é mais caro.

Tente ser flexível nas datas. Um dia a mais ou a menos nas viagens pode fazer o preço das passagens mudar consideravelmente. E não é raro você ter a oportunidade de permanecer no destino por mais tempo e pagando menos nas passagens, só por ter escolhido embarcar em uma Quinta-Feira e retornar em uma Terça-Feira.

Seguro

Se você não possui plano de saúde nacional, tome cuidado.

Em uma viagem, o seguro não chega a 5% do valor total da viagem. É muito pouco para o risco que você vai correr. Fica a dica.

Em nosso post sobre o Seguro Viagem, você encontrará tudo o que precisa saber sobre esse serviço. Clique aqui para saber mais.

Hospedagem

Hoje em dia, temos hospedagens para todos os gostos. Com café, sem café, com banheiro coletivo (compartilhado) ou suíte master. Você pode dividir um quarto nos hostels, alugar um quarto só pra você, um apartamento inteiro, desfrutar do ambiente mais familiar de uma pousada ou mais profissional de um hotel. Você só não pode deixar de viajar por ter colocado a culpa na hospedagem.

Além disso, você não precisa se preocupar em adquirir uma hospedagem cinco estrelas. Muitos hotéis três estrelas possuem preços bem acessíveis.

Você mal passará 20% da sua viagem dentro da  hospedagem, de qualquer forma. Então, optar por uma hospedagem mais simples não é uma má ideia.

Alguns sites, tem até hospedagem grátis (desde que você participe de uma comunidade) ou até mesmo em troca de serviços como cozinhar, cuidar dos animais da casa, cuidar da horta, etc.

Faça a sua escolha!

Ingressos / Atividades / Passeios

A maioria dos lugares do mundo são históricos, praias, rios ou parques. Reparou na dica?

Tudo isso é e sempre será de graça.

Para economizar bastante, procure viajar para lugares assim.

Os passeios ao ar livre são os melhores, pois são mais saudáveis, mais agradáveis e não doem no bolso.

E aquela atração imperdível mas que é paga? Como eu faço?

Uma forma de acessar os ingressos pagos, é comprar com alguma antecedência pela internet (ou através da VMVS). Geralmente, a compra online gera algum desconto, mesmo comprando com cartão de crédito.

E se realmente eu não puder pagar?

Tente sempre olhar por outro ângulo. Sua viagem não vai ser uma decepção se você não subir na Torre Eiffel, por exemplo. Eu mesmo fui lá e não subi. Mas cheguei pertinho, vi as luzes se acenderem e tirei fotos sensacionais. Sabe o que ficou? A felicidade estampada no rosto e a alegria de curtir o momento.

Não se deixe levar pela opinião das pessoas. A sua viagem deverá ser perfeita somente para você.

Cada pessoa tem uma visão diferente do mundo e, o que pode ser imperdível para outros, não necessariamente será imperdível para você.

Locomoção no local

Mais um item que possui diversas alternativas.

Temos o básico que é o transporte público, e que, em muitas cidades do mundo (inclusive do próprio Brasil), você se locomove a um custo bem baixo.

Além disso, temos os transfers, taxis, aluguel de carros e, hoje em dia, aplicativos de transporte que estão espalhados por aí.

A dica é: Fique atento ao reservar o local de sua hospedagem. Às vezes é melhor pagar um pouco mais caro na hospedagem e economizar muito no gasto com locomoção, pois estando perto das atrações, você poderá fazer inúmeras atividades a pé.

Alimentação

Restaurantes renomados? Sim, seria maravilhoso poder desfrutar. Mas nem sempre será assim. Porém isso não tornará sua viagem menos agradável.

Procure experimentar os pratos típicos locais. Comumente a comida típica do lugar é mais barata.

No Brasil, isso é um fato. Os frutos do mar são bem baratos no nordeste. Os peixes de água doce no Norte. Carnes são bem em conta no Sul.

Fica a dica: Os restaurantes utilizados pelo povo local quase sempre são mais em conta que restaurantes focados nos turistas.

E, se a grana estiver curta, bons lanches vão suprir sua necessidade.

Já fora do Brasil, o modo de alimentação é bem diferente. Em alguns lugares da Europa e EUA, os lanches são os preferidos. Por quê? Porquê esses países não são grandes produtores de carnes e alimentos naturais em geral. E a importação faz o custo da refeição “caseira” ficar bem alto.

Aí entram os fast foods. O que custa um pouco caro pra gente aqui no Brasil, em muitos lugares do mundo sai a preço de banana.

E aquele self-service (comida a quilo) baratinho? Praticamente não existe fora do Brasil.

O melhor que você vai achar é o estilo bandejão, onde você escolhe uma carne, e dois ou três acompanhamentos, bebida, sobremesa e fim.

Esse é o estilo mais barato de refeição que você poderá encontrar, mas, mesmo assim, o preço em nada tem a ver com o Brasil.

Bom, seguindo algumas dessas dicas e principalmente se planejando e poupando com antecedência tenho certeza de que você conseguirá realizar seu sonho e se tornar o mais novo integrante da população turista!

Agora, se você não quiser ter esse trabalhão de pesquisa e comparação de preços, fale conosco. Nossa consultoria é focada em fazer a sua viagem por um preço justo!